domingo, 31 de maio de 2015

Vivendo e deixando viver....

Olá meus amores!!!
Saudades...

Bem, faz um tempinho desde minha última postagem...
Tenho recebido muitos emails de amigos me perguntando como está a minha vida após a separação...
O que posso dizer a vocês??
Nós codependentes, temos uma grande dificuldade de praticar o desligamento, mas as vezes é necessário para nossa própria sobrevivência.
É preciso saber a hora de abandonar o barco quando percebemos que estamos afundando junto com ele.
Nos primeiros dias após a separação, a sensação que tive é de estar passando por um período de luto.
O medo, a insegurança e o sentimento de impotência eram devastadores.
As noites eram terríveis, pareciam não ter fim.
Passei noites em claro pensando, pensando e pensando...
A codependencia estava aflorada. Uma sensação de derrota, e perguntas do tipo: ''Onde foi que eu errei?''...Não paravam de martelar minha cabeça.
Me isolei um pouco. Precisei deste tempo para mim, precisava me reencontrar.
Saber quem era eu longe de toda esta minha história de codependencia.
O que me abalou demais, foi saber que meu familiar adicto após a separação, teve uma piora considerável.
Havia me mudado para casa de minha mãe, e como nossa antiga casa ficava a apenas dois quarteirões, era impossível não saber notícias.
Ele finalmente havia chegado ao fundo do poço, e isto me entristecia e me abalava demais.
Me apeguei a tudo que havia aprendido em todos estes anos como uma codependente ''as vezes em recuperação''. Digo as vezes, pois para mim, é impossível você viver serenamente e em recuperação a todo tempo com um adicto na ativa ao seu lado.
Por mais que saibamos o que tem que ser feito para agir com assertividade com nossos familiares adictos, viver em um ambiente quando a pessoa não está em recuperação abala qualquer ser humano.
É visível, mesmo quando ainda estava casada, que progredi muito no estágio de minha doença, mas infelizmente não havia como não ser atingida de alguma forma pela adicção ativa de meu familiar.
Os dias foram passando, e aquela dor que inicialmente parecia que nunca iria ter fim, foi amenizando.
Colocar em prática o que aprendi, era questão de sobrevivência.
Em primeiro lugar coloquei em minha cabeça a questão dos 3 Cs, quando se trata de codependencia.
1- Eu não Causei a doença dele...
2- Eu não sou Culpada por ela....
3- Eu não posso Cura-lo...
Ufa..Foi difícil trabalhar a tal ''Aceitação''. Mas somente assim tirei um peso equivalente a um elefante que havia em minhas costas.
A separação em si, já é complicada em um relacionamento dito ''normal'', em uma relação onde a codependência é aflorada então...
Muitos anos de convivência, cumplicidade, filha, netas...Tudo isto torna mais complicado o desligamento. 
A rotina de minha vida foi mudada drasticamente. Encontrar o meu lugar no mundo me parecia impossível.
Bem, vamos falar do ''HOJE''...
Hoje eu sou a Luciana, uma mulher de 37 anos, que é apaixonada por leituras, adoro fazer amizades, as vezes saio para dançar, me preocupo com minha saúde, minha alimentação, eliminei mais de 35 quilos causados pela depressão, amo viajar, tirar fotos, acampar... Enfim, hoje eu me amo, me valorizo e me coloco em primeiro lugar.
Olhar para mim hoje, e lembrar da Luciana de alguns anos atrás, me causa um certo ''orgulho'' de mim mesma.
Aquela mulher que vivia angustiada, com medo, frustrada, sem amor próprio, que perdia noites e noites de sono e cometia milhões de insanidades na tentativa frustrante de mudar o meu próximo, foi deixando de existir dando lugar a esta Luciana de hoje. A Luciana mais calma, serena, que consegue pensar antes de agir ( as vezes)... Enfim, que não comete mais aquelas insanidades de antes..rsrs
Sei que a vida é um eterno aprendizado.
Ainda tenho muito o que aprender e mudar, mas fico imensamente feliz com o progresso que tive em minha recuperação, e agradeço a cada um de vocês que contribuíram muito para que isso ocorresse. Agradeço a cada puxão de orelha, cada conselho, cada mensagem e até mesmo as críticas que muitas vezes foram construtivas. OBRIGADO.
Bem, hoje não posso ainda ter o prazer, de dizer que meu familiar está em recuperação, mas ele está bem.
Melhorando um pouco a cada dia, está lutando para entrar em recuperação, fico feliz e agradeço a Deus por cada pequeno progresso que ele faz em favor de si mesmo.
Hoje somos amigos, e ele costuma dizer que nos damos melhor agora, do que quando éramos casados.
Sempre que posso, o ajudo na medida do possível, e ele também faz o mesmo por mim.
Estou morando provisóriamente na casa de uma amiga muito querida. Ele está trabalhando e ajudando nossa filha a cuidar de minha ex-cunhada que está doente.
Notei uma grande mudança da parte dele após a nossa separação.
Se tornou uma pessoa mais responsável, menos egoísta e mais serena.
Hoje, posso ver claramente que o adicto precisa realmente sentir7 perdas para ''querer'' se recuperar.
Hoje posso também enxergar o quanto prejudiquei a recuperação de meu familiar adicto na tentativa de ''controlar'' a doença e tentar muda-lo a todo custo...
A terceira tradição de Narcóticos Anônimos diz : 

''UM ADICTO QUE NÃO QUER PARAR DE USAR, NÃO VAI PARAR DE USAR. PODE SER ANALISADO, ACONSELHADO, PERSUADIDO, PODE-SE ORAR POR ELE, PODE SER AMEAÇADO, SURRADO OU TRANCADO, MAS NÃO VAI PARAR ATÉ QUE QUEIRA PARAR.''

As vezes demoramos muito para entender e aceitar isso, mas quem acompanha meu blog, pode ver claramente que isto é uma grande verdade. A recuperação depende única e exclusivamente do ''querer'' do adicto. Quanto mais rápido aprendermos isso, mais rápido entraremos em recuperação e conseguiremos ajudar com assertividade nossos adictos. 
Hoje meus dias estão mais calmos, felizes, hoje posso verdadeiramente dizer que estou em paz.
Procuro ocupar meu tempo com coisas construtivas e mudei um pouco o foco de minha vida deste assunto, codependencia e adicção.
Fiz amizades maravilhosas e resgatei antigas amizades que antes foram esquecidas por eu estar mais ocupada vivendo a vida de meu ex, que minha própria vida.
Estou recuperando coisas que achei que fossem irrecuperáveis, e estou plenamente feliz por isso.
É obvio que ainda passo por alguns dias difíceis, afinal as sequelas da codependencia são muitas, mas nada comparado aquela vida sem paz que eu tinha antes.
Ainda não consigo deixar de me preocupar com meu ex, e acho que nunca conseguirei. Acredito que um pouco de preocupação é saudável, faz parte da vida. 
Mas aceito e entendo que não posso muda-lo, e deixo  ele viver com suas escolhas... Isso é viver em recuperação.
O que posso dizer a vocês meus queridos, é que existe vida além da codependencia.
 É possível sim, sermos felizes quando decidimos verdadeiramente cuidarmos de nós, afinal, é impossível ajudarmos alguém, quando não conseguimos nem mesmo mudar nossas vidas.
Hoje eu aprendi que a única pessoa que posso mudar é a mim, e só assim talvez eu consiga com minhas atitudes influenciar indiretamente e ajudar na recuperação do meu próximo.
Bem meus amores, vou terminando esta postagem por aqui, pois está tarde e amanhã tenho que levantar cedo para trabalhar.
Vou deixar o link da minha pagina do Facebook para quem quiser acompanhar:

 https://www.facebook.com/14anoslutandoporumdependentequimico?ref=hl 

Desejo a todos uma semana abençoada por Deus repleta de paz e serenidade.



           AMO TODOS VOCÊS INCONDICIONALMENTE.



sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Valeu a pena...

Olá meus queridos!!
Muitas saudades de vocês, deste nosso cantinho... 

Fiquei longe por algum tempo e neste período muitas coisas aconteceram em minha vida, e só agora foi possível vir até aqui relatar à vocês os últimos acontecimentos, confesso que sempre tive medo da separação, lutei com todas as minhas forças, fiz o possível e o impossível para que nossa história terminasse com um final feliz, mas infelizmente tive que abandonar o barco, pois já estava me afundando junto com ele, e com suas escolhas erradas...
Antes de começar a contar o triste desfecho, quero deixar registrado aqui, um poema que me veio a memória neste momento. Na verdade, tem tudo a ver com meus sentimentos, com o que penso e sinto... me identifico demais com ele. Este lindo poema foi escrito pela querida amiga e escritora Giulliana Fischer Fatigatti autora do livro e do blog Valeu a pena..
                
                               EU CONHECI UM ANJO.


Eu conheci um anjo...

Um anjo vindo do céu com alguma missão ainda desconhecida.
Durante o seu percurso de descida do Céu à Terra, esse anjo passou a ficar cada vez mais próximo e ter conhecimento acerca das experiências humanas, a cada nível em que ele descia, algo novo era descoberto e lhe era mostrado, paulatinamente ele descobriu o amor, a bondade, a generosidade, descobriu a beleza, aprendeu a sorrir e a fazer os outros sorrirem, descobriu a alegria na forma mais pura que há e quanto mais ele se aproximava da Terra, mais intensas eram suas emoções e mais próximo das emoções humanas ele ficava, entretanto pouco antes de tocar seus pés na Terra, ele descobriu a dor, a inveja, a angústia, descobriu a fraqueza e suas conseqüências, conheceu a solidão sem nem ao menos tê-la vivenciado, descobriu que havia pessoas ruins, energias ruins e momentos ruins, descobriu os vícios e
seus malefícios, conheceu a sensação vazia que uma decisão errada pode causar, vivenciou o lado mais obscuro do ser humano. Então, finalmente quando esse anjo chegou, ele já era muito mais humano do que anjo, pois, durante o seu percurso de descida, ele havia se familiarizado com as experiências humanas tornando-o praticamente um humano como nós.
Só quem ao seu lado esteve é que fora capaz de reconhecer a sua origem, porque mesmo tendo vivenciado e praticado as situações e atitudes mais horripilantes, ele ainda tinha dentro de si a alma de um anjo, a bondade de um anjo e a inocência de um anjo. Esse anjo vivenciou o terror na Terra, mas aprendi que deveria haver uma explicação para isso e que enquanto a sua alma for a alma de um anjo, haverá sempre uma saída, haverá sempre a possibilidade de um resgate, haverá a possibilidade da nova vida sobre a luz.
É só uma questão de tempo, eu sei que esse anjo encontrará o seu caminho, seguindo a luz que vem do Céu, seguindo a ordem Divina de que ele veio à Terra para ser feliz e não para sofrer.
Eu conheci um anjo e por tudo que vivi, digo que Valeu à Pena.



Bem meus queridos, é isso, foram vinte anos de uma História de amor, cumplicidade, amizade, muitos bons momentos e infelizmente momentos de dor, angústia, sofrimento, dias difíceis enfrentados por causa da progressão da doença de meu ex-marido. Infelizmente quando se tenta de tudo e se esgota todas as possibilidades humanamente falando, também acabam-se nossas forças e com ela nossa esperança de que um dia a situação melhore. Não pensem que estou sendo pessimista, pelo contrário meus queridos, eu fiz o possível e o impossível para que isso nunca tivesse que acontecer. Estou me divorciando do meu marido, mas não desisti do ser humano que ele é, torço por ele, quero vê-lo bem, orarei todas as noites para que Deus o proteja onde quer que ele esteja, acredito que um milagre ainda possa acontecer e eu espero que ele seja feliz, pois ele foi meu único e grande amor, perdi a esperança de que nosso casamento possa se salvar, mas nunca perderei a fé e a esperança de que um dia ele tenha um despertar espiritual e abandone esta vida de sofrimento.
A última recaída foi devastadora, não sou uma pessoa de criar expectativas, sou uma pessoa realista, que tem os pés no chão, aprendi muito sobre a doença ao longo destes anos de convivência. Por este motivo sempre me preparo psicologicamente caso ocorra uma eventual recaída, vivo preparada para isso. Acredito que criei este mecanismo de auto defesa depois de todos estes anos convivendo com a adicção dele. Raramente sou pega de surpresa, dificilmente caio em suas manipulações, mas confesso que desta vez a vida me surpreendeu, sei bem como a doença é progressiva e traiçoeira, e destrói tudo o que encontra pela frente, já passei por centenas de recaídas ao longo destes 20 anos de união, tivemos muitas perdas materiais, perdemos muitos amigos, empregos, mudamos de cidades por diversas vezes, passamos por muitas humilhações... Quem acompanha meu blog sabe da nossa história, de nossas dificuldades e também de nossas superações.
Na segunda feira da semana passada, dia 09/02/2015 descobrimos que a única irmã de meu ex-marido (eles são órfãos de pai e mãe) está gravemente doente, com um quadro gravíssimo de depressão, síndrome do pânico entre outros problemas que ainda não descobrimos o que é, pois marcamos consultas para fazer vários exames e ainda não chegou o dia dela passar. Na quarta feira da semana passada, dia 11/02/2015, ele me pediu que fizesse o favor de ir até a cidade onde a irmã dele morava. A idéia era que enquanto ele ficaria aqui em nossa cidade, resolvendo uns problemas pendentes de nosso trabalho, e também levaria a irmã dele ao médico eu fosse com uma de minhas irmãs até a casa de minha cunhada para vender os poucos móveis que ela tinha na casa dela e desocupar o imóvel para poder alugar, já que ela não teria mais condições de morar sozinha por causa de seus problemas de saúde, e não teria necessidade de deixar o imóvel abandonado.
Logo na quinta de manhã, minha mãe me mandou uma mensagem desesperada me dizendo que meu ex-marido havia saído, e deixado minha cunhada trancada sozinha dentro do quarto e havia saído para usar drogas... Como ela está com síndrome do pânico, ela se desesperou tanto ao perceber que ele demorava a voltar, que começou a gritar descontroladamente. Até que os vizinhos chamaram a polícia ( 8 viaturas) que invadiram minha casa, arrombaram a porta e á levaram para fazer um boletim de Ocorrência.(que no final nem foi feito)
Em seguida levarem ela novamente para casa, e pouco tempo depois meu ex-marido encontrou minha irmã que é adicta na rua e pediu para que ela cuidasse da irmã dele enquanto ele continuaria pelas ruas se drogando.
Nesta mesma noite, ainda antes da polícia ter invadido a minha casa e dele ter deixado a irmã dele trancada sozinha, ele resolveu convidar todos os ''nóias'' que estavam na biqueira se drogando para ir em minha casa tomar um banho de piscina, ligou o som alto, incomodou os vizinhos, fez uma verdadeira orgia dentro de casa... Resultado: quebraram minhas coisas, bagunçaram tudo, sumiram com meus notebooks, celular novo, roupas, etc...
Voltei correndo de São Paulo para tentar  (como se fosse possível)  evitar que ele fizesse mais besteiras...Quando cheguei minha casa estava literalmente destruída, Mas minha irmã, mesmo sendo adicta como ele estava cuidando de minha cunhada.
Resolvi ir atrás dele, pois ele havia emprestado uma grande quantia de dinheiro de um amigo meu, e havia saído com meu carro, que só deixei com ele para que ele levasse minha cunhada ao médico.
Quando fui procura-lo para buscar meu carro de volta, acabei o encontrando com outra mulher em meu carro completamente bêbado e drogado, ele ainda quis se achar o dono da razão e me tratou com muita arrogância e descaso, me culpando por tudo, e agindo feito um louco totalmente fora de si.
Fora toda esta humilhação e tristeza pela qual tive que passar, no dia seguinte o dono da imobiliária me ligou e me chamou para conversarmos com a máxima urgência.
Assunto?  O dono do imóvel onde moramos nos deu o prazo de uma semana para sairmos do imóvel, era de se esperar, depois de toda esta bagunça que meu ex-marido aprontou.
Não tive coragem de sair da casa no mesmo momento,  pois esperei ele voltar a si para conversarmos sobre a nossa separação e também não teria coragem de deixar a irmã dele sozinha doente com uma pessoa mais doente ainda..Somente Deus para cuidar deles agora.
Muitos amigos me fizeram uma série de perguntas do tipo:
Você se arrepende de ter dedicado 20 anos da sua vida a este homem?
Nossa!! Depois de tudo o que você fez por ele o que mais deve ter doído nisto tudo foram as traições?
Ou foram todas as perdas materiais que vocês tiveram? Ou tudo o que deixaram de conquistar por causa do uso de drogas de seu ex?
Bem meus queridos, são muitas perguntas e não tenho a resposta para todas elas, estas foram as que mais ficaram em evidência...
É claro que dói quando a pessoa que você ama te trai, mente para você, te engana, prejuízos materiais, eu nunca me abalei tanto, pois Deus sempre nos deu forças para trabalhar e conquistarmos tudo novamente. 
O que mais dói não é a traição, tampouco as perdas materiais, o que realmente dói é perder alguém que você ama para as drogas, e saber que não se pode fazer nada para mudar isso, aceitar que somos totalmente impotentes, e as escolhas do "outro"não dependem de nós.
Se eu tivesse perdido meu marido para uma outra mulher, não me sentiria uma pessoa derrotada, ficaria triste, mas feliz por saber que ele estaria bem, vivo, e feliz...
Enfim, quem realmente ama sempre irá querer ver o bem da pessoa amada independente da situação em que ela esteja vivendo, independente de suas escolhas, quem ama liberta, o amor não é egoísta.  Ele fez uma escolha, eu não consigo mais viver com esta escolha, por isso o deixo livre.
Eu não me arrependo de ter passado vinte anos de minha vida ao lado deste homem, com ele tive minha maior riqueza, nossa filha, depois veio nossa netinha, com ele aprendi muitas coisas, com ele aprendi a ser uma pessoa melhor, um ser humano que ama mais o meu próximo, uma pessoa menos egoísta, aprendi a orar, e ter fé nesta oração, aprendi a ser mais humilde, menos arrogante, aprendi a perdoar, a ter paciência com o próximo...
Acredito que tudo nesta vida tenha um propósito, existem pessoas que passam por nossas vidas com o propósito de nos fazerem evoluir como seres humanos.. Pessoas que nos deixam uma lição de para toda a vida. 


Eu agradeço a Deus por ter me concedido a bênção de ter permitido por este tempo em minha vida ter convivido com um Adicto.
Através de toda esta história conheci também todos vocês amigos e amigas que amo incondicionalmente... 
                                 Obrigado por tudo.