terça-feira, 15 de julho de 2014

Expectativas, Ansiedade e Esperança


Todos temos em nós um alto índice de Expectativa sobre nossas vidas, em nossas vidas e sobre as vidas dos que nos rodeiam. Sonhamos com realizações, traçamos perspectivas, vivenciamos histórias que jamais serão nossas. Colocamos nossos anseios, nossas frustrações em vidas nas quais não temos o direito. Com a desculpa de que se interfiro em suas vidas, é porque os Amo. Desejando para ele o melhor, não assumo que estes desejos para ele são desejos que talvez eu não tive coragem de ter e fazer para que pudesse ter o melhor para mim.
Planejo metas, diretrizes que devem ser seguidas para que objetivos sejam atingidos. Objetivos estes, inclusive meus, mas, que por minhas limitações e covardias não me foram conquistados. Transfiro para o outro então a responsabilidade de fazê-lo. Vivendo no outro a vida que não consegui ter. Ganhando Esperança de vida através da vida do outro e para que eu possa ter a minha própria vida vivida.
Na Esperança de vê-los felizes, Eu possa também sentir a felicidade que talvez nunca tenha experimentado.
Este sentimento de inquietação que é gerado pela minha Expectativa traz um conjunto de outros sentimentos que me fazem perder completamente o Controle de minha vida. Raivas, Culpas, Medos são desenvolvidos quando eu coloco, no outro as obrigações de me fazer feliz através de minha expectativas de mudanças de vida, de meus Sonhos e minhas Ansiedades.
Com minhas Expectativas tenho a certeza de que atitudes podem ser modificadas, que posso mudar comportamentos e recuperar a minha paz.
Aplico normas, leis, princípios, verdades as quais acredito serem perfeitas, completas e que devem ser aceitas, porque foram determinadas por ¨mim¨.
Defino o que é por mim desejado, meus padrões morais, éticos, meu modo de pensar, ou seja, tudo que quero é que o outro seja meu reflexo de perfeição, daquilo que Eu suponho ser o melhor para minha vida e para a sua. É o meu Eu agindo de acordo com meus Anseios, porém, atuando na vida dele. Com a Esperança de que agindo desta forma ele não sinta as dores provenientes e inerentes da própria vida escolhida por ele e que talvez eu não tive.
Os anseios, aspirações sempre vêem acompanhados de Expectativas e Ansiedades. E quando minhas vontades não são atingidas perco a Serenidade, entro num processo de Desespero, aonde Limites são ultrajados, a Fé desaparece e passo a cobrar de Deus o seu abandono.
Minha mente se enchem de Dúvidas, as Obsessões se afirmam e se firmam em mim. A Ansiedade domina, a Expectativa agora dirige todas as minhas 24h de existência. E estas sensações de Expectativa me trazem sentimentos negativos de: Insegurança, Temor, Angústia, Delírios, Fantasias.
No imediatismo na procura das soluções para meus sofrimentos as decepções para com o outro aparecem. E aparecem porque sempre espero que as coisas sejam muitos mais do que acontecem. Espero sempre mais do que aquilo que posso dar e receber, espero sempre mais do que o outro pode ter condições de ofertar. São minhas Expectativas, Sonhos e Desejos.
Coloco em alguém Expectativas de vida, procuro fazer com que este alguém viva as minhas Expectativas de vida através da sua vida e exijo que o outro alcance caminhos que eu mesmo não tenho Coragem para alcançar.
Neste fervor de sentimentos as Expectativas fazem-nos esperar por milagres que nunca acontecerão e feridas que nunca serão sanadas e nunca desaparecerão por completo do meu corpo, isto porque, mesmo que feridas sejam curadas as cicatrizes lá estarão e terei de conviver com estas marcas para sempre.
A Paz nunca será atingida e nunca será obtida, pois, colocamos sempre em outros nossas Expectativas de que melhorando o mundo a minha volta eu recuperarei a minha Paz tão merecida, sem entender que a minha Paz tão merecida esta dentro de mim, no interior e não no exterior deste mundo. Este sentir de Paz nunca é colocado em minhas mãos, aspiro sempre que o outro consiga, alcance, conquiste, lute, me oferte. Nunca digo para que Eu atinja estas conquistas. Cobrando soluções do outro; soluções que Eu mesmo não objetivo na minha vida infernizo seu mundo com exigências, aponto suas falhas, suas imperfeições. Sem me dar conta de que as imperfeições a serem cobradas e corrigidas são as minhas, as do outro devem ser atingidas e modificadas pelo outro.
Por não saber Esperar me sinto cheio de Expectativas, e estas Expectativas acabam com um sentimento poderoso chamado de Esperança.
Esperança e Expectativa apesar de serem considerados sinônimos no contexto da palavra, possuem uma diferença no seu conceito. Esta diferença esta na forma que atuam dentro de nós, em cada um de nós. A Expectativa vem carregada de Ansiedade, de Insegurança, de Dúvidas, Incertezas, Intranqüilidades, Covardias e Ignorância. A Esperança vem carregada de um sentido de Espera, de Serenidade, Coragem e Sabedoria.
Esperança é Esperar que as coisas sejam colocadas na sua ordem natural, com Paciência, com Compreensão, Tolerância e Amor. Tudo no seu tempo certo, na sua hora certa, sem a pressa de Mudanças radicais.
A Expectativa traz em si a pressa a ser atingida, o não tolerar, o não compreender, o não esperar pelo tempo, quero e exijo decisões rápidas, mudanças rápidas. Numa frenética Ansiedade de que meus ideais aconteçam conforme minhas aspirações de perfeição. Minhas Perfeições não sendo atingidas fazem recair sobre mim as frustrações. E ai, Culpo-me por minhas pretensões não se tornarem reais, culpamos os outros.
Uma raiva ensandecida se apodera e domina minha razão e começo a blasfemar e a dizer que a ¨Esperança¨ não mais existe. Só que me esqueço de perceber que em nenhuma hora eu tive o sentir da ¨Esperança¨, o que sempre coloquei em minha vida foi um grande e imenso senso de sentir ¨Expectativa¨ de sentir Ansiedade e Aflição.
Sem Esperança nós não damos ¨tempo¨ para que o ¨tempo¨ tenha ¨tempo¨ de fazer uma nova história. A Esperança me da à fé e com fé eu ¨Espero¨ que o ¨tempo¨ tenha ¨tempo¨ de reescrever uma nova história.
A Esperança me reaproxima de meu Poder Superior, o Deus que concebo.
A Expectativa me afasta deste Deus, me faz sentir com o ¨Poder¨ de poder mudar com as loucuras alheias, quando só tenho ¨Poder¨ de mudar as minhas loucuras, com as dele Eu só posso conviver, se assim o desejar.
A Expectativa confere o objetivo de sermos responsáveis por modificações que não nos compete. A Esperança me faz ver que estes objetivos não são de minha responsabilidade. E que cada um tem o dever ser responsável sua própria existência.
A Expectativa me faz ler um livro com o intuito de ver o seu final. Com a Esperança leio o livro aproveitando cada página, o final da história será apenas uma conseqüência da minha leitura.
Esperança me faz Trabalhar o interior para Compreender melhor o meu exterior.
Esperança é Esperar que primeiro as minhas mudanças ocorram, assim, aprendo a compreender que a mudança do outro depende somente da sua mudança e que as mudanças em mim independem das suas mudanças.
Esperar pela Esperança me permite não mais sentir Expectativas que apenas geram em mim a Ânsia de querer ter o Poder de mudar o outro.
Expectativa gera Expectativa, Esperança gera a Espera de dias melhores.
Minha Expectativa me faz Esperar com Ânsia uma Recuperação que terá de chegar hoje e se não chegar me fará infeliz.
Minha Esperança me faz Esperar com Calma uma Recuperação que talvez não chegue hoje, mas que, poderá chegar amanhã, um dia se Deus assim o permitir.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

O MEU AMOR POR MIM...

Olá meus queridos amigos(as), tudo bem com vocês? Paz e serenidade a todos nós.
Aqui em casa está tudo em paz, apesar do meu familiar adicto ainda não ter entrado de fato em recuperação.
Tenho percebido, que o comportamento dele mudou significadamente para melhor nestes últimos meses, ele ficou mais calmo e tolerante, não tem mais aqueles ataques de grosseria sem motivos, e voltou a ter os gestos de gentileza que tinha a alguns anos atrás.
Estes dias me surpreendeu com um lindo arranjo de flores.
Ele tem falado muito sobre a dificuldade que tem de entrar em recuperação( por causa da bebida), e de como tem o desejo de ter uma vida ''normal'', sem drogas, bebidas e cigarros. Vejo isso como um bom sinal a favor de sua recuperação, pois ele sempre viveu na negação e nunca gostou de se abrir sobre sua doença ou falar de recuperação, para os que acompanham meu blog, sabe que ele não aceitava nem o primeiro passo, vivia tentando ficar limpo a sua maneira e sempre achou que sozinho conseguiria.
Ele começou também, a se preocupar muito com sua saúde, coisa que não fazia antes.
Passou no médico, e está disposto a entrar na academia para recuperar a forma e ajudar a conter a ansiedade.
Estes dias fiquei preocupada com a saúde dele, pois ele foi fazer uma pintura na casa de minha mãe, acabou lixando as paredes e passou muito mal por causa do pó. Ele teve uma crise de falta de ar e dores no pulmão fora do normal, mal conseguia falar. Fomos as pressas para o pronto socorro onde ele foi medicado e fez uma inalação.
Todos nós sabemos os danos que as drogas, principalmente o ''crack'', causam a saúde, principalmente para os pulmões que ficam muito comprometidos causando edemas pulmonares entre outras doenças.
Ele ficou muito assustado e percebi que ficou demasiadamente preocupado com a sua saúde. Até então ele nunca havia passado tão mal em consequência ao uso de drogas.
Bem, eu disse no começo do post que ele não havia entrado em recuperação. Pois bem, nestes dias de jogos da copa do mundo, ele andou tomando algumas latinhas de cerveja e embora tenha se controlado e não tenha exagerado na dose, sabemos perfeitamente bem, que esta atitude mostra que ele não está em recuperação e ainda tem suas reservas.
Ele não tem bebido com a mesma frequência de antes, mas de vez em quando toma uma latinha ou outra com a promessa de que depois da copa e de que quando começar a frequentar a academia irá parar definitivamente com a ''cervejinha''.
Eu como sempre, não crio expectativas e sigo minha caminhada com meus pés no chão, consciente de como a doença é traiçoeira.
Falando de mim agora... Eu estou feliz e me amando como nunca.
Parece que finalmente encontrei meu espaço na vida e aprendi a separar minha vida da dele, independente das escolhas e decisões que ele tome.
Parece-me que o fardo se tornou-se infinitamente mais leve, não tenho mais aquela pressão sobre mim.
Claro que tenho meus altos e baixos como qualquer outro ser humano.
Mas não vivo mais naquela eterna agonia, tristeza e auto piedade de antes.
Tenho aprendido muito dia após dia com meus erros e acertos. E claro, também aprendo muito com todos vocês.
Hoje vejo que a felicidade e a paz tão almejada, não depende de ninguém a não ser de mim.
Eu escolho ser feliz, e as consequências da minha escolha, atingem todos ao meu redor.
Hoje vejo que podemos iniciar nosso dia, com o compromisso de mudar o tipo de sentimentos que temos por nós mesmos(as).Trocar os maus pensamentos pelos bons, mudar nossos velhos hábitos, começar uma dieta, cuidar mais do corpo, ir ao cabeleireiro, a manicure, mudar o visual... Enfim, ter mais tempo para cuidarmos e amarmos a nós mesmos(as).
São coisas simples e pequenas, mas garanto que causam uma sensação de bem estar e alegria que vale a pena experimentar.
Começar pelas coisas que aparentemente não tem importância, é um grande passo para alcançar outras mudanças que sejam necessárias para nós.
Porque a vida do codependente na maioria das vezes se torna muito repetitiva.
Nosso foco quase sempre está no adicto, no que ele esta fazendo ou fará, para onde ele vai, quando e como, se ele esta cumprindo suas obrigações e responsabilidades, se já chegou ou chegará, fora a nuvem negra que insiste em nos assombrar de tempos em tempos que é o medo da recaída...Muitas vezes não conseguimos evitar estes anseios, por mais que tentemos. Bem, resumindo, com todas estas preocupações, muitas vezes acabamos nos tornando omissas(os) com nós mesmos.
Mas podemos mudar se realmente desejarmos e lutarmos para isso.
O que importa para nós é o dia de hoje, e como vou vive-lo para ter paz e felicidade comigo mesmo(a).
Tudo depende de nossas escolhas, e eu escolho ser feliz... ''Só por hoje''.
Vamos dar um passo de cada vez, rumo a nossa recuperação, não importa quanto tempo leve, e mesmo que pareça devagar, quase parando, o importante é continuar.
A nossa meta é buscarmos a paz e a felicidade dentro de nós mesmas (os), independente das escolhas de terceiros.
Quanto a meu familiar adicto, ele também tem o direito de fazer suas escolhas, assim como eu.
E peço a Deus que ele escolha o caminho da real recuperação, ou qualquer mudança que lhe traga de volta a vida verdadeira, livre das drogas e de todas suas ilusões, continuo orando para isso. Tenho muita Fé.
Mas hoje, só por hoje, meu amor por mim me faz viver e deixar viver.


terça-feira, 1 de julho de 2014

Facebook


Olá queridos(as) leitores(as)...
Passando só para dizer que por aqui está tudo em paz e deixar o link do meu face e minha pagina do face para quem quiser adicionar..
Tentei colocar no blog, mas esta  com problemas temporários...
Recebi alguns emails que não consegui responder por conta da correria do dia a dia.
Beijos no coração e muita paz e serenidade a todos... AMO VOCÊS INCONDICIONALMENTE....

https://www.facebook.com/lu.laura2


https://www.facebook.com/14anoslutandoporumdependentequimico?ref_type=bookmark