segunda-feira, 14 de julho de 2014

O MEU AMOR POR MIM...

Olá meus queridos amigos(as), tudo bem com vocês? Paz e serenidade a todos nós.
Aqui em casa está tudo em paz, apesar do meu familiar adicto ainda não ter entrado de fato em recuperação.
Tenho percebido, que o comportamento dele mudou significadamente para melhor nestes últimos meses, ele ficou mais calmo e tolerante, não tem mais aqueles ataques de grosseria sem motivos, e voltou a ter os gestos de gentileza que tinha a alguns anos atrás.
Estes dias me surpreendeu com um lindo arranjo de flores.
Ele tem falado muito sobre a dificuldade que tem de entrar em recuperação( por causa da bebida), e de como tem o desejo de ter uma vida ''normal'', sem drogas, bebidas e cigarros. Vejo isso como um bom sinal a favor de sua recuperação, pois ele sempre viveu na negação e nunca gostou de se abrir sobre sua doença ou falar de recuperação, para os que acompanham meu blog, sabe que ele não aceitava nem o primeiro passo, vivia tentando ficar limpo a sua maneira e sempre achou que sozinho conseguiria.
Ele começou também, a se preocupar muito com sua saúde, coisa que não fazia antes.
Passou no médico, e está disposto a entrar na academia para recuperar a forma e ajudar a conter a ansiedade.
Estes dias fiquei preocupada com a saúde dele, pois ele foi fazer uma pintura na casa de minha mãe, acabou lixando as paredes e passou muito mal por causa do pó. Ele teve uma crise de falta de ar e dores no pulmão fora do normal, mal conseguia falar. Fomos as pressas para o pronto socorro onde ele foi medicado e fez uma inalação.
Todos nós sabemos os danos que as drogas, principalmente o ''crack'', causam a saúde, principalmente para os pulmões que ficam muito comprometidos causando edemas pulmonares entre outras doenças.
Ele ficou muito assustado e percebi que ficou demasiadamente preocupado com a sua saúde. Até então ele nunca havia passado tão mal em consequência ao uso de drogas.
Bem, eu disse no começo do post que ele não havia entrado em recuperação. Pois bem, nestes dias de jogos da copa do mundo, ele andou tomando algumas latinhas de cerveja e embora tenha se controlado e não tenha exagerado na dose, sabemos perfeitamente bem, que esta atitude mostra que ele não está em recuperação e ainda tem suas reservas.
Ele não tem bebido com a mesma frequência de antes, mas de vez em quando toma uma latinha ou outra com a promessa de que depois da copa e de que quando começar a frequentar a academia irá parar definitivamente com a ''cervejinha''.
Eu como sempre, não crio expectativas e sigo minha caminhada com meus pés no chão, consciente de como a doença é traiçoeira.
Falando de mim agora... Eu estou feliz e me amando como nunca.
Parece que finalmente encontrei meu espaço na vida e aprendi a separar minha vida da dele, independente das escolhas e decisões que ele tome.
Parece-me que o fardo se tornou-se infinitamente mais leve, não tenho mais aquela pressão sobre mim.
Claro que tenho meus altos e baixos como qualquer outro ser humano.
Mas não vivo mais naquela eterna agonia, tristeza e auto piedade de antes.
Tenho aprendido muito dia após dia com meus erros e acertos. E claro, também aprendo muito com todos vocês.
Hoje vejo que a felicidade e a paz tão almejada, não depende de ninguém a não ser de mim.
Eu escolho ser feliz, e as consequências da minha escolha, atingem todos ao meu redor.
Hoje vejo que podemos iniciar nosso dia, com o compromisso de mudar o tipo de sentimentos que temos por nós mesmos(as).Trocar os maus pensamentos pelos bons, mudar nossos velhos hábitos, começar uma dieta, cuidar mais do corpo, ir ao cabeleireiro, a manicure, mudar o visual... Enfim, ter mais tempo para cuidarmos e amarmos a nós mesmos(as).
São coisas simples e pequenas, mas garanto que causam uma sensação de bem estar e alegria que vale a pena experimentar.
Começar pelas coisas que aparentemente não tem importância, é um grande passo para alcançar outras mudanças que sejam necessárias para nós.
Porque a vida do codependente na maioria das vezes se torna muito repetitiva.
Nosso foco quase sempre está no adicto, no que ele esta fazendo ou fará, para onde ele vai, quando e como, se ele esta cumprindo suas obrigações e responsabilidades, se já chegou ou chegará, fora a nuvem negra que insiste em nos assombrar de tempos em tempos que é o medo da recaída...Muitas vezes não conseguimos evitar estes anseios, por mais que tentemos. Bem, resumindo, com todas estas preocupações, muitas vezes acabamos nos tornando omissas(os) com nós mesmos.
Mas podemos mudar se realmente desejarmos e lutarmos para isso.
O que importa para nós é o dia de hoje, e como vou vive-lo para ter paz e felicidade comigo mesmo(a).
Tudo depende de nossas escolhas, e eu escolho ser feliz... ''Só por hoje''.
Vamos dar um passo de cada vez, rumo a nossa recuperação, não importa quanto tempo leve, e mesmo que pareça devagar, quase parando, o importante é continuar.
A nossa meta é buscarmos a paz e a felicidade dentro de nós mesmas (os), independente das escolhas de terceiros.
Quanto a meu familiar adicto, ele também tem o direito de fazer suas escolhas, assim como eu.
E peço a Deus que ele escolha o caminho da real recuperação, ou qualquer mudança que lhe traga de volta a vida verdadeira, livre das drogas e de todas suas ilusões, continuo orando para isso. Tenho muita Fé.
Mas hoje, só por hoje, meu amor por mim me faz viver e deixar viver.


4 comentários:

  1. Já estava com saudades de suas postagens..

    ResponderExcluir
  2. Admiro muito sua fé e determinação!
    Bianca

    ResponderExcluir
  3. Fiquei impressionada com as sua atitude.Aorendi agora com o seu depoimento que ser feliz só depende de nós mesmos, independente da situação. bjs continue na luta...ela é diaria!!!

    ResponderExcluir
  4. Problema que já sou feliz sem carro, motocicleta, jet-ski mas elas só sentem felizes com gastar, Gastar, GASTAR e comprar, Comprar e COMPRAR . . . Onde adoram bens materiais e não querem serem tratadas como mercadorias . . .

    ResponderExcluir