segunda-feira, 24 de setembro de 2012

MEU FAMILIAR ADICTO!!



Bom dia meus queridos!!


Obrigado pelas palavras que me confortam tanto nos momentos difíceis... Paz e serenidade a todas(os).

Hoje, quero relatar a vocês, como é meu o familiar adicto quando não está na ativa, o homem que tanto amo e por quem me apaixonei a muitos anos atrás. O homem que amo hoje e certamente amarei pelo resto de minha vida, estando ou não ao seu lado, independente de suas escolhas.

Hoje acordei triste, magoada pelo fim de semana tão triste e angustiante que passamos.

 Mas com a graça de Deus, Consegui me manter em paz, e mesmo em meio as tempestades, não perdi minha serenidade, e em momento algum entrei em desespero.
Tudo isso agradeço a Deus primeiramente e ao que tenho aprendido com cada um de vocês, pessoas tão queridas e especiais que já fazem parte da minha vida!!

Ao entrar no blog me deparei com a triste notícia que o marido de nossa querida amiga Kel, também recaiu...

Fiquei muito triste, por ele, e também por ela, por saber exatamente o que ela está sentindo neste momento, muita dor.

Li os comentários, e me dei conta de que infelizmente, por causa das nossas tristes experiências como codependentes, quase nunca relatamos na realidade as qualidades de nossos queridos familiares adictos.

Eu particularmente, quando criei este blog, e não faz muito tempo, foi em um momento de profunda tristeza, angustia e sofrimento.

Fiz o blog na intenção de desabafar o que sentia, na esperança de encontrar alguém que me entendesse e passasse pela mesma situação, para partilharmos nossas experiências.
Me dei conta, de que nunca havia falado quem é meu familiar adicto sem as drogas. Quando está sóbrio e em recuperação.
O homem pelo qual me apaixonei, o homem que amo e certamente amarei sempre. 

Posso garantir que conheci, assim como todos vocês, muitas pessoas ao longo de minha vida, e meu familiar adicto foi uma das melhores pessoas que já tive o prazer de conhecer...

Um homem amável, carinhoso, responsável, preocupado com a família, com o próximo, sempre me ajudou em tudo que precisei na vida e passou comigo por momentos muito difíceis, foi ele que por muitos anos me ajudou a cuidar de meu pai com alzheimer, ele que fazia todas minhas vontades, me fazia cafuné antes de dormir, me levou para conhecer os lugares mais lindos, sempre me respeitou como mulher, sempre foi muito sincero, muito verdadeiro, muito integro. 
Mesmo lutando todos estes anos contra esta doença, nunca se entregou, nunca desistiu de si, nunca desistiu de nós, se ele cair mil vezes, as mil ele levanta e acredita que um dia vai conseguir sair deste inferno com a ajuda de Deus.

Mesmo com todas adversidades que esta doença trás em nossas vidas, ele nunca deixou de trabalhar, e quando não está recaído é muito responsável e um profissional exemplar.

Viajamos para tantos lugares, com ele conheci muitas coisas, aprendemos muito um com o outro.

Hoje sou uma pessoa melhor, aprendi muito com ele, a doença me deixou mais humilde, me ensinou a amar ao próximo incondicionalmente, com ele aprendi a ter mais fé, pois ele nunca perde a fé, aprendi a não desistir fácil e lutar pelos meus sonhos, pois ele nunca desiste, não importa o quanto a situação esteja difícil.

Houve momentos extremamente difíceis para ele, nos quais ele me relatou muitas vezes chorando, momentos de tristeza e depressão que sucedem a recaída, aquele momento que bate o arrependimento e você pensa ''putz que merda que eu fiz?'', momentos que bate aquela angustia, o medo de voltar para casa, a tristeza de ver aquele olhar de decepção do familiar vindo na direção dele. ( tristeza que relatou nossa amada amiga Fênix em seu blog) 
Ele já me confessou que nestas recaídas ele já pensou algumas vezes em tirar sua própria vida para acabar de uma vez com o seu sofrimento e principalmente com o nosso...

Mas graças a Deus e as minhas orações Deus não permitiu que isto acontecesse, e mesmo cansado, envergonhado e se sentindo um lixo (como ele mesmo diz) ele voltava para casa para recomeçarmos novamente.

Ele, sempre feliz, incrivelmente otimista, sonhador, ótimo pescador...( nem tanto, eu pesco melhor que ele). 
Homem que por vezes se parece com um menino, briga com minha filha por causa de danone e guloseimas !! risos...
Tem um coração gigante...

A única coisa que ele sonha na vida desde que conheceu o maldita DROGA, é ter uma vida normal, como todas as outras pessoas, normal assim como eu (será que eu sou normal??) como a maioria das pessoas, ele apenas quer a vida dele de volta, quer voltar a ter o controle sobre sua própria vida.

Eu fico profundamente triste e angustiada quando vejo que a droga é capaz de fazer com o ser humano, como ela destrói sonhos, famílias, vidas...

Muitas pessoas infelizmente tentam, tentam e tentam de tudo para largar o vício, mas a doença é traiçoeira e se não estivermos vigilante todo tempo vivendo em recuperação, a doença arrasta o adicto, que acaba não tendo forças para sair deste ciclo destrutivo, a doença não tem cura, apenas pode ser estacionada se a pessoa se propor a viver em recuperação.

Quantos amigos e conhecidos de meu familiar adicto já morreram ou estão presos por causa do vício...
Infelizmente muitos morrem sem conseguir sair desta vida tão triste.

Me recordo de vários momentos bons ao lado do adicto de minha convivência, momentos felizes, reconheço tudo de bom que ele me fez, é obvio que como todo casamento também tivemos nossas desavenças mas isso é comum em qualquer relacionamento.

Meu familiar adicto é apaixonado por crianças e onde ele chega as crianças o adoram, ele sempre tem muita paciência com elas...Ele ama os animais, principalmente nosso cachorro que é seu xodó. Nós nos conhecemos tanto, que nos comunicamos pelo olhar, só pelo jeito de olhar ele já sabe quando não gostei de algo, e vice versa.

Uma coisa que admiro em meu familiar, é que tudo que ele vai fazer na vida pede minha opinião, até nas coisas mínimas, ele valoriza muito minha opinião e meus conselhos.

Isso tudo que estou relatando é meu familiar adicto sem as paginas negras que as drogas deixaram em nossas vidas, sem as crises de abstinência pela falta das drogas...

Meu familiar adicto, assim como eu e minha filha, também é um codependente, pois se deixar ele abandona sua vida para ajudar as pessoas. Me recordo de um fato que ocorreu algum tempo atrás, quando um senhor que era morador de rua, foi pedir comida na casa de uma amiga minha muito querida, o senhor disse que precisava trabalhar para poder se alimentar, carpir um terreno, tirar um entulho, qualquer coisa...
Nesta época morávamos em uma chácara e esta minha amiga disse que estávamos precisando de alguém para carpir o nosso terreno, quando o senhor chegou em casa, advinha o que meu familiar adicto fez? Pediu para o senhor aparar a grama e quando terminado o serviço, percebendo que o senhor não tinha para onde ir, chamou o senhor para morar com a gente em nossa chácara, tratávamos ele como se  fosse de nossa família.

E pasmem... Mesmo meu marido sendo adicto e alcoólatra quis ajudar o senhor a parar de beber... risos.

Depois de quase um ano morando conosco, precisamos nos mudar e meu marido arrumou um emprego de caseiro para este senhor em outra chácara, hoje ele está bem e até arrumou uma companheira. 
Teve uma outra vez, que uma vizinha estava passando graves problemas financeiros e colocamos ela e os dois filhos dela para morar em nossa casa até ela se ajeitar na vida e arrumar um emprego e outro lugar para ficar.

Outra vez uma amiga brigou com o marido e ele colocou ela e os 3 filhos dela na rua, levamos ela também para morar em casa e ela ficou um bom tempo morando com a gente, até a vida se ajeitar.

Teve outro caso de uma amiga muito querida que passou por momentos difíceis, pois o marido foi preso, também trouxemos ela e a filha para morar em casa com a gente, depois ela acabou indo morar com a sogra.

Quantos domingos vocês deixaram de ficar com a família em casa ou descansando para ir ao hospital orar pelas pessoas que estão doentes sem ao menos conhece-las? Nunca? Nem eu..

Pois meu familiar adicto sempre fazia isso, sempre teve prazer em fazer o bem ao próximo, Distribuía cestas básicas para as famílias que passavam dificuldades.

Esse é o meu marido sem as drogas e talvez seja por isso que eu ache tão difícil ver ele acabar com a própria vida por causa da maldita ''pedra''.

Tem horas que eu penso que isto tudo é um pesadelo, mas quando acordo vejo que infelizmente não...

Peço a Deus que continue me dando forças e sabedoria para saber ajuda-lo com assertividade em sua recuperação, ajudar se ele quiser pois sei que só depende dele, basta ele querer, só posso cuidar da minha recuperação.

A sociedade infelizmente vê o adicto com tanto preconceito, já vão logo achando que são bandidos, vagabundos, olham com desprezo e não como um ser humano que precisa de tratamento por ter uma doença.

Algumas pessoas que conhecem meu familiar e depois descobrem que ele é um adicto, se afastam ou mudam de comportamento sem ao menos disfarçar...

Enfim, é muito triste para eu ver este homem tão especial, inteligente, que poderia ter um grande futuro pela frente se acabando dia após dia por causa desta doença tão terrível.

Sei que Deus conhece o coração das pessoas, e acredito que por este motivo tem guardado este seu filho durante todos estes anos, mesmo ele infelizmente tendo escolhido o caminho errado.

Enquanto há vida há esperança...

Assim vamos vivendo e aprendendo um dia de cada vez...

Agradeço a Deus que só por hoje meu familiar não usou drogas, 1 dia limpo!!! Obrigado Senhor!


Muita Paz e Serenidade e todos!

9 comentários:

  1. Seri muito bem do que vc está falando,passei por tudo isto. Talvez até pior. Cracolandia caiu lá não sai mais.Mas eu saí, para vc ver que todos podem se recuperar. Mas talvez ainda não seja o tempo dele.

    ResponderExcluir
  2. Minha amiga, me emociono tanto com a sua história, que bom que você consegue ressaltar as qualidades do seu amor mesmo no sofrimento, isso faz parte da recuperação, você sabe que independente das escolhas de ambos, o sentimento ainda existe.
    Fica bem e vamos mentalizar a recuperação dele, participa lá no blog da corrente!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Lú, é verdade que eles realmente também tem muitas qualidades, mas, infelizmente o vício transforma muitas vezes o caráter das pessoas. É possível sim, uma pessoa ser dependente e codependente. Eu também identifico esse perfil no meu esposo, mas, no meu caso ele é muito mais dependente. Dependente das drogas, dependente das pessoas. Ele não consegue se manter sozinho, precisa sempre ter alguém para ampará-lo, para lhe dizer sim ou não e não consegue tomar muitas decisões por isso, por esperar demais das pessoas.

    Beijos querida. Que a paz reine em seu lar. SPH!

    ResponderExcluir
  4. Oi flor
    meu irmao é usuario de drogas desde pequeno mas de crack faz uns 3 anos que ele conheceu mais ele nao ta usando direto nao o problema é que ele ta traficando e vende pedra e farinha e ai ele gosta de fumar maconha e ja esperimentou pedra mais no momento nao esta na pedra nao
    é um prazer conhece-la espero que um dia todo esse transtorno acabe em sua vida amiga a coisa nao é facil mesmo nao é complicado mais Deus da vitória um dia tudo acaba mesmo que seja no caixao mais acaba amiga
    desejo a vc uma linda semana e força ai amiga

    Bjinhoss

    ResponderExcluir
  5. o Lu..obrigada pelo carinho...hoje eu to sem muitas palavras só te desejo que Deus de o melhor o que vc necessita no dia de hoje..bjinhu

    ResponderExcluir
  6. Lu, bom dia! Essa noite orei por você e por uma outra amiga de blog. Sempre oro por todos de uma maneira geral, mas essa noite, em especial sitei o seu nome e o de outra companheira.
    Não tenho dúvida nenhuma em relação a essa personalidade do seu marido, a droga é tão traiçoeira que escolhe pessoas maravilhosas para se agarrarem com uma força inigualável e elas acabam cedendo.
    Sei que não existe nada mais triste do que a nossa impotência e a impotências dele perante a doença, mas temos que ter força e FÉ!!
    Que bom que ele está a um dia limpo, graças a Deus! Que as próximas 24 horas sejam de paz e serenidade tanto para ele quanto para você!!
    Deus sabe de todas as coisas e Ele nunca nos abandona!!
    Feliz 24 horas!!Beijão!

    ResponderExcluir
  7. Que lindo essa publicação,vc consegue dizer exatamente o que eu consiguo sentir pelas pessoas adictas,depois da convivência do meu mano comigo a 1 ano sendo d q dentre esse ano foram 7 meses de tentativas 3 recaídas até ele graças a DEUS conseguir seguir limpo e já vai fazer 1 ano limpo,e hje não consugo olhar para um dependente com desdém a qual talvez antes por (preconceito) eu olhasse os olho com ternura e com a imensa esperança de que assim cmo meu mano um dia irão trilhar o caminho da recuperação e tenho FÉ que seu esposo é um desses pois DEUS nos dar sempre a vitória,fica com DEUS...

    ResponderExcluir
  8. sou esposa de um dep quimico e confesso ja li pesquisei frequentei lutei por ele ... ja tentei de tudo agora a failia dele menos o pai ainda nao desistiu e eles querem q eu largue dele para ele acordar... ninguem me disse um obrigado ate hj por estar lutando... so critica, dizem q aceito.. a mae e as irmas,... elas nao sabem o que passo dentro de casa ninquem quis saber so jogam pedra.... impus ordens regras.... e ele consegue no maximo 2 dias no outrro some ou pior agora sem carro ... ele fica rodadando o quarteirao de casa parecendo zumbi, a mae quer atitude ja fiz de tudo ... ja botei p fora.. ja frequei=ntei grupos com ele, ja estendi a mao e tbm ja ate bati... mas como ainda moro de aluguel a preocupação da mae dele e eu sair para nao ter despesas pq meu marido trab p pai....to desorientada nao sei quem recorrer quem procurar.....

    ResponderExcluir
  9. sofro com isso tudo, estive separada de meu esposo por dez anos e a um ano voltamos, porem penso todo dia em deixa-lo pois ele é um adicto e eu não sei lhe dar com isso , não aceito. Temos uma filha adolescente e o amo muito, ele é um ótimo marido, me ajuda nos afazeres da casa, cozinha e não me dá trabalho com infidelidade. Quando usa é sempre na dele, não me agride só tem mudanças de humor e isso me entristece não sei o que fazer.

    ResponderExcluir